domingo, fevereiro 17, 2008

Assalto!

A vida é mesmo muito perigosa, como disse Guimarães sob a voz de Riobaldo, um grande pensador do sertão. Há momentos que você se encontra bem, dançando ou cantando, de vestido bonito, com um largo sorriso estampado, feliz. E aí, de repente, numa torrente de desassossego, vem uma dor, um aperto, uma gastura no peito, que faz você nublar e chover dentro de você mesma. Embolados de sentimentos lhe assaltam sem aviso prévio e lhe pegam desprevinida de senões. Diacho de vida traçoeira!
E assim... como uma onda que leva a premonição de volta pra imensidão, a angústia vai embora e a calma volta a pousar na sua testa. Seu sorriso vira cartão de visita de novo até o próxima vez que a saudade vier gigante e fizer você cair no colo do destino, debulhando em lágrimas de amor que nãos e esgotam nunca.

4 Comments:

Blogger menina said...

TPM é foda, Mô. rsrsrsrs
Beijos

10:06 PM  
Blogger Madalena said...

Saudade docê, muié. Apareça! (Ou melhor, apareçamos, pois andamos todas meio sumidas, não?)
Beijos!

4:07 PM  
Anonymous Anônimo said...

Este comment não tem nada a ver com seu texto, Calmonzinha...
Apenas serve pra trazer o endereço do meu blog procê ir lá comer pipoca de quando em vez! :-)

10:21 PM  
Blogger Alvany said...

Oi, Mô.
Mostrei esse texto até para minha mãe "Que coisa linda, não é assim mesmo?" disse ela. A Mônica precisava sair da sombra do desânimo para libertar esses textos tão maravilhosos. Já disse que estou com saudades. Repito a minha mãe: textos como esses (claro que ela se referia ao da filha tb, né?) precisam ser publicados. Vai em frente, MÔ.
Alvany

10:10 AM  

Postar um comentário

<< Home