terça-feira, dezembro 11, 2007

Alma embriagada

Você me frustra. Olho para o celular e nenhuma mensagem me esperando. Checo meus e-mails e nada. E que urgência tem o amor. E que ansiedade vive em mim. Quero viver a cada palavra digerida. Quero você com tanta intensidade do momento antes que eu acorde solteira novamente. Porque de manhã, sou solteira sempre. Conforme o dia passa é que vou pedindo alento. Pode um coração tão doido desses?

3 Comments:

Blogger Lu Arroyo said...

Mô, me delicio com seus textos! Nada como aprender a tratar com leveza aquilo que nos pesa tanto, né? E, talvez, a matéria que mais nos serve a esse propósito de leveza seja mesmo a palavra. Lindo!
Bjs,
Lu

1:14 PM  
Blogger Madalena said...

Faço minhas tuas palavras, amiga minha. Tem horas em que o silêncio se faz o pior algoz. Pior do que mil palavras duras.
Bjos

11:41 PM  
Anonymous Anônimo said...

A todos os babacas que nos fizeram sofrer em 2007, com um patrocínio da Homo Palhaçus Produções Fenísticas...Vamos lá, meninas, em uníssono, everybody:
MOOOOOOOOORRRRRRAAAAAAAAAM!
Obrigada.
Beijos,

5:13 PM  

Postar um comentário

<< Home