sexta-feira, dezembro 07, 2007

Injeção!

Ontem tomei uma injeção na bunda. Pois é. Tomei! O causo é que estava toda empolada, cheia de vermelhos no rosto e o anjo doctor paulo receitou esta injeção milagrosa que faz desaparecer todas as minhas alergias como uma poção mágica das estrelas. Trem dos bãos!

O engraçado é chegar na farmácia do bairro, e não aqueles pertencentes a grandes redes - da qual você é assídua freqüentadora e pedir para o mocinho do balcão aplicar em você uma injeção na bunda. Isso mesmo: na BUNDA. Eu já perdi a vergonha. Pergunto como tenho que ficar, falo do corinthians para não deixar aquele silêncio – o rei do constrangimento – imperar e tomar conta da cena. Acho que o balconista não era corinthiano. Ele nem ligou para as minhas falas desembestadas. Mas foi rápido. E pronto! E saí de lá, às dez da noite, toda pimpona porque havia tomado uma injeção, como se fosse ela a solução para todas as ansiedades que carrego nos vermelhos em mim. Às vezes, meus caros, é muito bom acreditar em fantasias.

3 Comments:

Blogger Madalena said...

Tenho um medo ancestral de injeções... volto a ter 5 anos de idade (quase como qdo entro num avião, hahah). Tomei uma por ocasião do acidente, antitetânica... suei frio e fiquei com o braço dolorido uns três dias, sem dormir direito. E meu irmão, rindo muito da minha cara.. é incrível como a gente passa por situações até piores ao longo da vida (exame de sangue, por exemplo, é muito mais chato... sem falar de outros, haha), mas os temores infantis, aqueles primeiros da nossa vida, continuam sempre à espreita. Não fiquei tão nervosa nem qdo fui operada, mas tremo na base diante de uma agulhinha, rs.
Bjos!

2:43 PM  
Blogger Madalena said...

Tenho um medo ancestral de injeções... volto a ter 5 anos de idade (quase como qdo entro num avião, hahah). Tomei uma por ocasião do acidente, antitetânica... suei frio e fiquei com o braço dolorido uns três dias, sem dormir direito. E meu irmão, rindo muito da minha cara.. é incrível como a gente passa por situações até piores ao longo da vida (exame de sangue, por exemplo, é muito mais chato... sem falar de outros, haha), mas os temores infantis, aqueles primeiros da nossa vida, continuam sempre à espreita. Não fiquei tão nervosa nem qdo fui operada, mas tremo na base diante de uma agulhinha, rs.
Bjos!

2:43 PM  
Anonymous Carliinha said...

Uma Vez, viajei com meus pais para um lugar onde havia muitas cachoeiras, rios e tal. Antes um pouco de ir bati forte com o dedo do pé no beiral do sofá da sala, e quilo foi inchando cada vez mais, tive q tomar uma injeção para amenizar a dor, isisti que queria prosseguir na viagem! Chegando lá, resumiu-se que, todos da minha familia foram pra cachoeira e eu acabei tendo que ficar na casa de uma tia chata deitada na cama com o bumbum pro alto o tempo todo! Por isso mamãe sempre diz, largue de ser impulsiva menina!! rs ..Beijos!

3:17 PM  

Postar um comentário

<< Home