quarta-feira, setembro 17, 2008

Pedaços de Mim


Rascunhos

Confesso! Nada que escrevo é original. As palavras todas soam repetitivas e enjoativas. Há vários rascunhos esquecidos em mim. O que falta para eu conseguir compôr um texto, uma história por inteiro? Por isso, no desespero de desabafar essas frases todas até então entaladas, posto aqui alguns pedaços meus.

Gastejo

O gastar das palavras em horas muito indevidas embola sentimentos e sentidos. A gente acaba achando tanta coisa de tanta gente. Mas e de nós? Sabemos as nossas minúcias, os nossos desassossegos?

A Meca de cada um...

Meca é a cidade natal do profeta Maomé. Para os muçulmanos, ela é a cidade mais sagrada do mundo. Pensando nesta definição de "Meca" e depois de ter assistido à peça "O Caminho para Meca", com Cleide Yáconis, pergunto: qual é a sua Meca? Qual é a minha Meca?

Aconchego

Tenho uma vontade colorida de ser carregada no colo, acarinhada nos cabelos até o sono me tomar, de ser despertada por beijos quentes e cócegas na barriga. Quero receber ligações de madrugada e ter alguém me esperando ansioso às sextas-feira. Quero um abraço de sorrisos, olhares cúmplices e uma barba para idolatrar. Quero me entrelaçar, cansar de brigar, ter ciúmes e por demais namorar. Bombom recheado, vinho, sorvete e aconchego de carinho. Feito um ninho. Destino certo. Exclusivo.

Polvilho de Sorriso

A sensação é boa. Um orgulho de ser o que sou. Sem arrependimentos, mágoas e rancores. Otimismo crescente. Fé! Realizações aceleradas. Frutas colhidas no pé. Polvilho de riso. Canções apaziguadoras de alma e que me reafirmam a cada melodia. Pouca saudade. Estrada sob os pés. Kilômetros percorridos. Legendas no olhar. Abraço sem dizeres. Mãos calejadas de poesia. Cabelos avermelhados de história. Ventre caipira. Peito quente e recheado de prece.

2 Comments:

Anonymous "Anonymous"... said...

Aconchego parte 2...

Ah, Calmon... Carregar no colo, as costas velhas já não mais permitem. Cafuné até se afundar em Morfeu, é tentação maior do que o juízo recomenda... Despertar com beijos quentes e cócegas na barriga... arrepia até alma só de pensar, mas... tá ligada que num dá, né? ;-)

Te ligar de madrugada é bem capaz de eu fazer mesmo, porque pentelho o suficiente pra isso eu sei que sou! Mas esqueça totalmente a espera ansiosa das sextas-feiras: ansiedade foi uma das coisas (junto com os cabelos, por exemplo...) que a idade finalmente jogou pra bem longe! Abraço de sorrisos? Pois não! Estes sim, você os merece todos, um por um! Olhares cúmplices também! Só não precisa idolatrar esta barbinha rala e já parcialmente coberta pela tal "neve do tempo"... não estamos com essa bola toda, afinal!

Aiaiai! Entrelaçar, cansar de brigar, ter ciúmes e por demais namorar. Bombom recheado, vinho, sorvete e aconchego de carinho. Feito um ninho. Destino certo. Exclusivo. E, acima de tudo, quentinho. Calorzinho bão do teu coração!

Um beijo à la Clark Gable e Vivien Leigh!

11:18 PM  
Blogger Lu Arroyo said...

Mô, suas palavras são a própria tradução de algo que aconchega. Faz carinho no coração da gente, sabe? Lindeza de prosa que conta o essencial!

Beijos e mais beijos,
Lu

9:59 AM  

Postar um comentário

<< Home