segunda-feira, agosto 18, 2008

Em busca da sensualidade perdida


Amarrei tantas blusas na cintura que não sei onde a minha sensualidade se escondeu. As pessoas dizem para encontrar a mulher sensual que existe dentro de mim e eu só consigo liberar a amiga, a irmã, a menina-gente-fina. Mas a mulher, onde ela está? Será que se pintar o cabelo de vermelho ela dará às caras nesse corpo? Ou será que se emagrecer um bucadinho, ela se anima e vem fazer presença nos vestidinhos pretos que de vez em quando eu desencalho do meu guarda-roupa?

Pois é. Mas sensualidade nada tem a ver com corpo perfeito, nem com cabelo da moda. Sensualidade está nos olhos, no jeito de mexer com as mãos, de andar, no jeito de ser. Não é mesmo? Sensualidade está na vontade de ser mulher.

Aulas de dança do ventre, estágio com as gueixas, sapatos provocantes? Nada disso. Quero descobrir a minha sensualidade, que pode ser um pouco brejeira, um tanto infantil, às vezes, como dizem meus amigos, mas é minha, bem original. Basta ter medo de ser e estar. Basta ter medo de crescer. Basta encarar os olhares desnorteadores de frente.

2 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Somos duas querida!
A minha também não sei onde se escondeu..que bom ler seu texto...obrigada mais uma vez....
beijos com saudades
Tams

7:17 PM  
Anonymous "Anonymous"... said...

Calmonzinha sempre tão querida,

O Sol não precisa se preocupar em ser quente. Ele é, e pronto.

A Rosa não precisa se preocupar em ser perfumosa. Ela é, e pronto.

A Lua não precisa se preocupar em ser romântica. Ela é, e pronto.

E você, hein? Você, Calmon, com essas maçãs vermelhas salientes e sardentas, esse sorriso moleque, esse inconformismo com a pequenez, essa vontade de não ficar marcando passo na vida, esse olhar que se a gente olha assim é de menininha mas se a gente olha assim é de mulherão... você, Calmon, é. E pronto!! ;-)

9:57 PM  

Postar um comentário

<< Home