sexta-feira, outubro 19, 2007

Interpretações

Fico pensando em como as pessoas agem e como eu, em muitos momentos, sou contraditória. Quando tenho um problema a resolver, me escondo. Antes até conseguia ficar mais tempo debaixo d’água, sem ter que respirar. Mas hoje minha capacidade pulmonar já não é mais a mesma. Volto à superfície mais rapidamente. Afinal, sou grandinha, preciso resolver meus problemas. Embora esta parte da adultice seja muito chata. Era tão mais fácil chamar a mãe.

Sei que têm muitas pessoas que não sabem interpretar textos, nem mensagens, nem silêncios. É difícil mesmo. Uma das coisas que mais pega no vestibular é a bendita da interpretação de texto. Que dirá interpretar uma resposta elegantemente recheada de silêncio? Diante da subjetividade, as caraminholas da gente costumam torcer contra o bom senso e criar coisas tão mirabolantes que até Deus duvida de tamanha criatividade. Para os catastróficos, são teorias da conspiração, regadas de muito drama e sofrimento. E para os otimistas... Quanta imaginação!!! Ei laiá!

Eu parei com isso. Já recebi muitos “nãos” silenciosos. Agora costumo encará-los numa boa. Às vezes, acho esta forma de dar respostas muito infantil. Mas vai ver que eles estão debaixo d’água como eu. Mas quando alguém te der o silêncio como resposta, tente não insistir. As conseqüências da insistência poderão acarretar danos à alma.

Concordo totalmente com uma amiga, muito carregada da sabedoria, que quando a gente tem uma certa ligação mais intensa e profunda, o silêncio como resposta é uma falta de respeito ou consideração. Há de ser franco e colocar a linguagem verbal na mesa. É o mínimo que se pode fazer. Quando as apalavras começam a se enrolar uma nas outras... Sinal de perigo. Sinal de que alguma coisa não vai bem. Que os sentimentos não estão muito certos. E quase sempre a gente não está muito certo das coisas.

Realmente, a vida é cheia de seus impropérios. Nada é muito preto no branco. O que vale é o bom senso. Se for paciente e perseverante, avalie se vale a pena o enrosco se desenroscar. Mas caso contrário, minha amiga, continue caminhando. A quilometragem precisa rodar.

2 Comments:

Blogger Madalena said...

Amiga, seu texto é pura verdade e poesia. Aquela poesia concreta que às vezes faz falta na vida da gente. :)
bjos!
Juju

11:55 PM  
Anonymous Anônimo said...

Mô, quando você aprender o segredo de continuar a caminhar, você me conta?
Beijo,

4:23 PM  

Postar um comentário

<< Home